segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Observação

Acho a intertextualidade fantástica. A leve, claro. Não chamo nem de intertextualidade, chamo de inspiração. Mas é assim que os outros chamam ne, fazer o que...
Eu consigo me inspirar muito mais através de obras de outros do que saindo da minha própria cabeça ou olhando pra uma privada, um chocolate, uma folha balançando.
Quando digo outros, quero dizer escritores, cineastas, pintores, fotógrafos, desenhistas, pessoas (quando eu olho pra alguém e fico extramente encantada, reconheço que esse ser mágico é uma obra prima dos seus pais 8D), e porque não, Deus.
Vou começar a falar isso aqui, quando acontecer. Quando eu vir obras encantadoras.
Cada um com sua sombra, como diria Humberto Ak’abal, uma das minhas.

2 comentários:

Caio disse...

rapaz, eu já vi as horas mas não lembro de nada :~

de qualquer forma, eu concordo contigo... Intertextualidade/inspiração RULEZ \o


:B ai como eu sou idiota

Anie disse...

cara, essa coisa das pessoas , eu também sinto isso. E isso vale tanto pra pessoas de carne e osso quanto pra personagens de livro e filme. Muitas vezes o livro/filme nem é bom, mas tem um personagem incrívelmente inspirador.