sábado, 24 de novembro de 2007

2 + 2 = 5

Além da miséria, do descaso, da cara de que ta tudo bem, da inércia, da corrupção, da falta de educação doméstica e de tantos outros problemas que nosso país tem, ultimamente uma coisa vem me incomodando mais do que o normal.
A falta de escolha.
Eu não me sinto livre pra escolher meus caminhos, ir exatamente onde eu quero ir.
E pior, não sou só eu, muita gente se sente assim mas ninguém faz porra nenhuma!
Aí, você, desocupado que tá lendo esse texto pensa: e até parece que você faz...
Bom, eu faço. Todos os dias.
Eu converso com as pessoas, argumento, tento mudar o pensamento delas e enfiar alguma coisa além de jogo do sport na cabeça. Eu escrevo minha revolta aqui, boicoto tudo que eu absolutamente não concordo e procuro saber direitinho em quem eu tô votando, e acompanho meu candidato.
Pra mim, mudança não é sinônimo de passeatas e tulmulto, apesar de eu sentir falta das passeatas (só fui a duas).

Por mais que esses palavras ai em cima pareçam confusas e não coesas, o que eu to querendo dizer é que eu quero mudar meu país pra poder mudar o meu mundo. (exatamente o contrário de einstein)

E espero que meus fantasmas estejam ao meu lado.



e agora, deixo um clichêzinho que me representa bem no momento:
"eu sou uma contradição e foge da minha mão fazer com que tudo que eu digo faça sentido"

Um comentário:

Uana Mahin disse...

hmm, o país em relação à escolha está assim:
- vote em quem você não conhece e se prepare pra o show de corrupção
- vote nos corruptos, assim você não irá se decepcionar pois já espera, antes de votar o seu show de corrupção.

claaaro que existem políticos bem intencionados, mas hoje em dia é foda saber quem é bem intencionado e quem não.
como minha mãe sempre acompanhou muito bem em quem ela vota, é muito militante desde a época de jovem e tudo mais, apoio, geralmente os candidatos dela, pois ela tem mais experiência e conhece mais do que. Além disso eu vejo a proposta, analiso direitinho e tudo mais, aí coincide, mas é claro que podia não coincidir.
E esses, que acompanho, que apoio (porque eu ainda não voto) nem tem me decepcionado. ainda bem.

(clichêzinhos são muito úteis, sou totalmente a favor!)

:*