sexta-feira, 27 de junho de 2008

R.I.P = Rock In Peace

Desenterrei Kurt agora. De vez em quando eu faço isso. Sempre gostei de Nirvana, desde minha época pirralhada descobrindo as bandinhas de rock por ai.
O que eu fiquei pensando agora foi na vida dele. O cara foi foda, conhecido no mundo todo, fez um sucesso desgraçado mas morreu jovem demais. Mal se aguentava em pé de tanto pó e tinha uma das cabeças mais perturbadas que eu já vi.
Fico pensando que não vale a pena fama e sucesso ou até "reconhecimento" com uma vida fodida dessa. A pessoa sofre mais que tudo. Falo por experiência própria. Não tive fama nem sucesso, mas a parte do fodida (quem sabe, sabe) já vale. Ainda bem, agora eu tô beleza, não fico mais pensando merda e tô quase livre do remédio, até porque, meu caso é bem light. Aí eu penso, imagina uma pessoa que tem um caso grave, seja de qualquer coisa assim, que mexe com o sistema psíquico do indivíduo?!!
Deve ficar perturbado demaaaaaais.
Eu tenho um interesse louco por pessoas assim, já li bastante coisa sobre Kurt mas ainda não tive coragem de ler sua biografia. Dizem que é pesada demais e eu tô evitando coisas que me botem pra baixo.
Por mais que meu texto possa estar tão confuso quanto a cabeça do próprio Cobain, só quis dizer que não vale a pena ser nem pagar de fodido só porque os outros pensam que é cool. Não mesmo. Prefiro a felicidade e a paz dos Beatles. :D

Um comentário:

Anie disse...

É mesmo, meus problema leves já parecem bem chatinhos, imagina ter a mente realmente perturbada!?

Também me interesso por loucuras( com uma pitada de genialidade) sinceras. Não sei se você lembra daquele caso do meu tio... ele não teve fama nem sucesso,mas a parte fudida acabou com ele.

Saudade de ouvir ,pessoalmente, suas crises, Bebella. Beijos